sexta-feira, 4 de julho de 2008

Anfetaminas: dependência e efeito rebote




A anfetamina é o medicamento para emagrecer mais consumido no Brasil. Devido ao baixo custo do medicamento, e dos efeitos que provoca, esse tipo de droga sintética tem sido muito procurada por pessoas que além da perda de peso, procuram se manter “ligadas” por mais tempo e ficarem menos inibidas.

A Anfetamina age diretamente no Sistema Nervoso Central, proporcionando euforia e concentração, o que causa um significativo aumento da capacidade física e mental do usuário. Porém faz com que o organismo trabalhe acima de suas necessidades exercendo esforços excessivos, e isso é extremamente prejudicial à saúde.

Os efeitos colaterais mais graves desta perigosa droga são: insônia; perda de apetite; energia em excesso; fala acelerada; dilatação das pupilas deixando a visão mais sensível à luz; taquicardia; agressividade; irritação; delírios leves; paranóias e alucinações em caso de dosagem excessiva; pele pálida; arritmia; gastrite; tremor nas mãos, boca seca, diarréia alternada com intestino preso; aumento da pressão sanguínea provocando mais derrames cerebrais; ataques de pânico e até reações suicidas.

Porém os efeitos colaterais podem diminuir e até desaparecer em um consumo a longo prazo. Assim, as anfetaminas causas grande dependência, já que seus efeitos só duram de oito a doze horas, e, depois disso o cansaço, o desânimo e a fome voltam mais fortes do que antes fazendo com que o usuário aumente a dosagem para obter os mesmos efeitos de antes. Com isso, em poucos dias já se formam quadros de depressão e dependência física e mental.

Além disso, a interrupção do consumo causa muitas vezes um efeito rebote que representa um grande ganho de peso e sonolência. Você acaba tendo mais fome do que quando não tomava o remédio e sua atenção em coisas simples estará comprometida devido à degeneração de determinadas células do cérebro.

Um exemplo claro está nos crescentes acidentes que ocorrem nas estradas de todo o país. Caminhoneiros que precisam ficar muitas horas acordados no volante, recorrem ás anfetaminas para agüentarem as longas madrugadas, mas quando o efeito do remédio acaba, os motoristas acabam dormindo ao volante e aumentam o número de mortos nas estradas.

Portanto, antes de recorrer a medidas emergentes, pense nas conseqüências que isso pode trazer, pois nada que te trás resultados tão rápidos pode fazer bem para a sua saúde, e no final das contas você sai perdendo.

Um comentário:

Amoi disse...

Muito bom amor.. gostei muito e to vendo q vc percebeu agora

parabens minha linda
bjinhux